O futuro do XV

O futuro do XV

– Luiz Tarantini –

Olá alvinegros apostólicos romanos, sejam muito bem vindos ao nosso espaço semanal, livre de amarras, democrático e sem nenhum tipo de restrições, sua opinião é sempre bem vinda e a sua participação aqui na A Tribuna, na Rádio Difusora, nas redes sociais e na TV Ativa sempre será a nossa prioridade. Muito Obrigado!

O XV está eliminado do campeonato paulista na categoria sub 20 após a derrota em Osasco para o Audax nesta última quarta feira (27) pelo placar elástico de 5×0, suas chances de avançar na competição agora não existem mais e o Nhô-Quim só cumprirá a tabela da competição, o alvinegro fica na quarta colocação do grupo com um ponto conquistado no empate frente a Ponte Preta na primeira rodada desta segunda fase. Ótima oportunidade para dar tempo de jogo para mais garotos e testar mais opções táticas.

Não se pode cobrar nada nem de Denis Augusto e sua comissão, assim como dos garotos, para quem acompanha o dia a dia do alvinegro sabe que vários garotos que estavam na condição de titular e disputaram a primeira fase da competição, subiram para o profissional a pedido de Cléber Gaúcho e desfalcaram o sub 20 nesta segunda fase.

Dos atletas que disputaram a primeira fase, a maioria hoje está sendo usado pelo técnico Cléber Gaúcho, entre eles João Pedro, Enzo, Luis Acevedo, Mika, Diego Lanzarini, Anthony e Serginho, que foram relacionados para o último jogo, diante do Desportivo Brasil, só nesta lista é quase meio time titular, a queda de produção seria inevitável.

Mas com tudo, mesmo com a derrota e a desclassificação, neste momento em minha opinião o torcedor deve sentir orgulho do que está acontecendo, o sub 20 fez seu papel principal que é preparar e colocar os garotos em condições de vestir a zebrada como profissional e nesse quesito quem pode reclamar? Basta olhar para o time e Cléber Gaúcho e a resposta está ali com todos os garotos oriundos da base se destacando, marcando gols e jogando com muita propriedade e comprometimento apesar da inexperiência.

O torcedor precisa entender que somente o tempo diminui erros individuais, aumenta a confiança e aprimora a parte tática e técnica desses garotos. O feito na derrota para o Desportivo Brasil no Barão, quando com muita garra chegaram a virar o placar, já mostrou a qualidade de cada um, os erros aconteceram, mas vou só lembrar que onde eles estão acontecendo é setor formado por atletas já mais rodados que é o caso dos dois zagueiros e do goleiro todos na faixa dos vinte e cinco anos.

Agora com a notícia da volta do sub 17, o futuro do XV volta a ser mais claro e esperançoso, principalmente pelos nomes escolhidos para ali desenvolverem esse trabalho. Leandro Silva o “Leandrinho” como treinador, Sinei Luan Lopes preparador físico e Juninho como preparador de goleiros, já nos deixa muito confiantes nessa nova realidade. Arnaldo Bortoleto como diretor de futebol em poucos meses de trabalho já avançou muitos mais do que tudo que aconteceu nos últimos oito anos.

O trabalho agora em conjunto de Denis Augusto e Leandrinho vai proporcionar uma qualidade muito maior em fundamentos, preparação física, posicionamento tático e a apuração técnica do atleta quando ele for graduado para o time profissional, ai sim começaremos a chamar de “base” o trabalho nas categorias de formação. Para ficar ainda melhor, um passarinho me contou que o Sub 15 já está no forno…

Força NHÔ-QUIM, as pessoas passam, e sempre vão passar, mas você velho senhor “É IMORTAL”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas