Polícia Civil faz prisão em flagrante por estelionato

Polícia Civil faz prisão em flagrante por estelionato

A Polícia Civil de Rio das Pedras efetuou, na última terça-feira (12), a prisão em flagrante delito de CASJ por estelionato e receptação de produtos comprados de maneira fraudulenta. A investigação começou com a abertura de um Boletim de Ocorrência (BO) por JJP, que sofreu um golpe quando foram feitas compras indevidas em seu nome. No dia 7 deste mês, a vítima foi MM que se dirigiu à delegacia para comunicar a compra indevida de uma joia e passou o endereço de entrega.

O delegado Dr. Mauro José Arthur e o investigador Sidnei Panuci se dirigiram à residência do indiciado no bairro Bom Jardim e, com a devida autorização, realizaram buscar na casa. Foram encontrados alguns produtos comprados de maneira ilícita, como um celular com a nota fiscal em nome da vítima JJP. Também foram encontrados um drone, outros dois aparelhos celulares, embalagens e outros comprados de forma fraudulenta pela internet.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão ao indiciado pelo crime de receptação qualificada, uma vez que a vítima MM informou que os produtos comprados de forma irregulares eram revendidos a preços mais baixos do que os praticados no mercado. Ao ser questionado, o indiciado respondeu que um desconhecido, cujo endereço e nome não sabe, faz as operações indevidas e, após as compras serem feitas, recebe os produtos e depois revende a preços baixos.

A vítima JJP recebeu orientações da autoridade policial e, tão logo soube da prisão, compareceu à delegacia para prestar esclarecimentos. A vítima MM não chegou a registrar Boletim de Ocorrência, pois impediu a fraude conversando com a loja via aplicativo.

Não foi estabelecida fiança criminal por se tratar de crime de receptação qualificada. O delegado Dr. Mauro Arthur representou a conversão da prisão em flagrante em preventiva, porque há a possibilidade de outras vítimas surgirem e, uma vez solto, o indiciado poderá dificultar ou impedir as investigações.

Na operação foram apreendidos dois celulares, cujo acesso aos dados foi autorizado por escrito pelo indiciado e serão encaminhados para a perícia, que fará a extração de dados e subsidiar outros elementos de prova. O delegado informou ainda que o indiciado teve sua integridade física preservada, sendo conduzido à delegacia sem o uso de algemas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas