Trocando seis pela classificação e o acesso

Trocando seis pela classificação e o acesso

Luiz Tarantini

Foto: Divulgação / FNV

Olá alvinegros apostólicos romanos, sejam todos muito bem vindos ao nosso espaço deste projeto que não para de crescer, o “Passe de Letra” hoje figura entre todos os veículos de comunicação e leva sempre a verdade sem querer “amaciar” nem em críticas nem elogios, fazemos os dois na mesma proporção, pois como já é de conhecimento de todos, não temos rabo preso com nenhum tipo de segmento, dentro e fora do mundo do futebol.

O que mais o torcedor queria aconteceu, o XV de Piracicaba hoje é um time sólido, com linhas de marcação muito bem definidas e postadas, defesa muito sólida e o resultado disso são cinco partidas sem tomar nenhum gol, e o ataque matador colocando o Nhô-Quim como o melhor ataque da competição até agora, faltando duas rodadas para o final desta fase classificatória o alvinegro Piracicabano tem pela frente no próximo sábado 12/03 o Taubaté fora e encerra essa classificatória no Barão contra o Primavera dia 19/03 para se possível estar entre os quatro primeiros que tem a vantagem de decidir a segunda partida do mata-mata em seus domínios.

Os quatro últimos jogos do Nhô-Quim foram eletrizantes, (a vitória contra o RB Brasil no Barão por 3×0 vamos deixar de fora pois não entra em nosso critério de “boa apresentação”), o Nhô-Quim mostrou desde a décima rodada contra o RB Brasil, São Caetano, Lemense e agora a Portuguesa Santista o “algo a mais” que um time precisa para chegar nas cabeças e estar em disputa direta sempre nas primeiras colocações. Não deu chance para os adversários e já é hoje o time que mais preocupa na tábua de classificação a todos os concorrentes ao acesso.

Roberto Cavalo ou Robert Horse como preferirem ajustou posicionamentos, trocou peças fundamentais ao equilíbrio da equipe e reposicionou alguns atletas, vemos hoje o bom jogador Paraíba aparecendo com muita força entre ataque e defesa, só que agora com o “algo a mais” que citamos, o atleta pelo porte físico não sucumbe a marcação e além de proteger a zaga no setor da intermediária, chega como um torpedo no ataque confundindo e muito a marcação dos adversários.

Essa mudança de postura do meio campo com Ferreira, Adenilson, Felipe Tontini e o próprio Paraíba á a formação dos sonhos de todos os times do interior, “força, obediência tática e técnica individual”, fazem hoje o setor do Nhô-Quim o melhor entre os dezesseis participantes. As equipes adversárias como os dois últimos confrontos contra a Lemense e Portuguesa Santista tentaram tumultuar o meio campo congestionando o setor, ai aparece os atacantes de lado, Lucas silva, Diego Rosa, Carlos Albetto, Diego Cardoso que independente de quem seja o titular colocam o terror nas defesas opostas, armando para o artilheiro Lucio Flávio, ou mesmo quem chegue de trás, boas opções de ataque que estão sendo convertas em gol e assim as vitórias vão se acumulando e a subida na tabela sendo hoje uma realidade com o XV já classificado para a segunda fase do paulista da série A2 2022.

Vocês podem observar que o texto rasgou elogios a todos os setores do time, ao formato de jogo e para alguns atletas de forma individual, muito diferente do início da competição quando as críticas foram sempre verdadeiras conforme a cada partida “perdida” ou “mal jogada”. Luciano Dias com toda sua educação e equilíbrio deixou o comando e assumiu o experiente Roberto Cavalo, desta vez não trocou “seis por meia dúzia”, e sim “seis jogos perdidos pela classificação”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas