Procura por atendimento Covid é dez vezes maior em Janeiro

Procura por atendimento Covid é dez vezes maior em Janeiro


Os reflexos das festas de final de ano estão aflorando em Rio das Pedras, assim como tem ocorrido em todo o Brasil. Na cidade, no dia 31 de dezembro, não tinha sido confirmado nenhum caso novo do Covid-19 e os pacientes em isolamento domiciliar eram dez e assim permaneceu até o dia 2 de janeiro. Na segunda-feira (3) surgiram 31 novos casos positivos. Foram mais 24 positivos no dia seguinte e mais 11 na quarta-feira (5). Nesta quinta-feira (6) foram confirmados mais 22 casos positivos de Covid em Rio das Pedras, levando o número de pacientes em isolamento para 80 e o de casos suspeitos para 55.
A quantidade de pessoas com sintomas de síndrome gripal cresceu muito nos últimos dias e o medo de contrair o Covid provocou uma grande corrida em busca de atendimento médico nas unidades de saúde. De acordo com a direção do Hospital São Vicente de Paulo, que administra o Pronto Socorro Municipal, a busca por atendimento mais do que dobrou nesta primeira semana do ano. Já a procura por testes de Covid junto à UBS Dr. Matheus Gabriel Bonassa subiu da média diária de seis pacientes para 30 buscas espontâneas e mais 30, em média, encaminhados pelo Pronto Socorro para realizar o teste.
“O medo do Covid fez as pessoas buscarem atendimento médico a cada surgimento de sintomas gripais. Contudo, é preciso estar alerta e evitar riscos desnecessários como se aglomerar nas unidades de saúde, podendo sim se contaminar com o vírus caso a pessoa não esteja. A orientação é para que, no caso de coriza, a pessoa deve ficar em casa. Se tiver coriza e febre, continue em casa, mas em alerta. Caso apresente coriza, febre e tosse, procure atendimento médico nas unidades básicas. Se também estiver com falta de ar, aí sim é o caso de procurar o Pronto Socorro”, explicou Joaldo Gonçalves de Oliveira, secretário da Saúde, que completou: “as pessoas precisam ter cautela e estar atentas aos sinais de gripe. Nessa época do ano é comum casos de gripe comum. Ir ao Pronto Socorro e UBS sem a real necessidade é correr um risco desnecessário de contrair a Covid. De qualquer forma, para aumentar a capacidade de atendimento em nossa rede, disponibilizamos o atendimento médico exclusivo para casos Covid das 12 às 16 horas, de segunda à sexta-feira, e das 7 às 12 horas aos sábados junto a UBS Dr. Matheus Bonassa”.


Outro reflexo da epidemia de gripe é a corrida às farmácias em busca de antivirais. Embora uma parte tenha ido aos estabelecimentos realizar as compras dos produtos após consulta e recomendação médica, outra foi por contra própria, sem orientações de profissionais, o que faz especialistas em saúde alertarem sobre o uso indevido.
Isso fez com que alguns medicamentos começassem a faltar nas farmácias. “Não tem para vender e não tem para comprar. Nenhum dos fornecedores, não tem previsão”, explicou o farmacêutico Eder de Oliveira.
“Pelo uso indiscriminado de antiviral é possível ter resistência do vírus a certos medicamentos, a gente vê isso com bactéria, mas isso existe para vírus também. Pelos protocolos do Ministério da Saúde, o uso só estaria indicado em pacientes de maior risco para complicação pela infecção pelo vírus influenza. Então, a rigor, não são todas as pessoas com indicação. Isso pode levar sim a um desabastecimento e falta da medicação para quem precisa, de fato”, ressaltou o médico infectologista André Bueno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas