Reforma Protestante

Reforma Protestante

No decorrer dos séculos, desde os tempos de Cristo, tem havido um desvio daquilo que Jesus ensinou. Sempre se levantaram vozes em defesa da pureza do Evangelho. Apesar do zelo, sempre existiram aqueles que se desviavam, trazendo para dentro da Igreja práticas de outras religiões. No começo, foi apenas a inclusão da hierarquia onde o papa era o líder supremo; depois vieram o batismo para a salvação, a adoração de imagens e pasmem, até a proibição da leitura da Bíblia, e muitas outras heresias, atingindo um patamar tal, que por volta do século XIV, o romanismo estava completamente envolvida no paganismo.

Há 504 anos, no dia 31 de outubro de 1517, Martinho Lutero fixou suas famosas teses contra a venda de indulgências na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, contrariando os interesses teológicos e, principalmente, econômicos da “Igreja” romana. O impacto foi tamanho, que se comemora nessa data o início da Reforma Protestante.

No início da igreja em Atos capítulo 2, foi dado forma à igreja. Mas, com o passar dos tempos, homens que não tiveram compromisso com a Palavra de Deus, deformaram-na. Então, o significado simples da reforma é: trazer de novo a forma, àquilo que perdeu a forma.

A reforma veio a realizar-se devido ao contato da mente humana com as Escrituras, e o resultado foi que a mente humana se emancipou da autoridade clerical e papal para seguir a autoridade das Escrituras. Alguns itens para que se houvesse a reforma.

1》as Escrituras sagradas como única regra de fé e conduta;

2》a justificação pela fé;

3》o sacerdócio universal de cada crente.

 

 

Os pilares teológicos que fizeram parte da Reforma Protestante são os chamados Cinco Solas – frases latinas que surgiram para enfatizar a diferença entre teologia reformada protestante e a teologia romana. Sola vem do latim e significa “somente” ou “apenas” na língua portuguesa. E os Cinco Solas são:
1 – Sola Fide (Somente a fé): O homem é justificado única e exclusivamente pela fé (Romanos 5.1).
2 – Sola Scriptura (somente a Escritura): As Escrituras é a única regra de fé e prática da igreja (2 Timóteo 3.16).
3 – Solus Christus (somente Cristo): Jesus é o Único Senhor, Único Salvador, Único Mediador entre Deus e os homens, Único Fundamento, Única Rocha, Único Cabeça (1 Timóteo 2.5; Atos 4.12; 1 Coríntios 3.11; Efésios 2.20; João 14.6; Hebreus 7.25).
4 – Sola Gratia (somente a graça): Tudo que o homem possui (graça comum), e em especial a salvação, é dada pela graça somente (Efésios 2.8,9).
5 – Soli Deo Gloria (somente à Deus a glória): O homem foi criado para a glória de Deus e que tudo que ele fizer deve destinar a glorificar a Deus (Romanos 11.36).
Esses pilares da Reforma Protestante são, e devem ser o compromisso da igreja atual, com o intuito de ser uma igreja séria e comprometida com o Reino de Deus. A igreja que estiver fora desse eixo ou fora deste contexto deve ser considerada anátema, ou aquela para a qual não devemos dar crédito algum.
Lutero não foi, como alguns pensam, o fundador de uma nova religião, o protestantismo. Foi, sem dúvida, o grande precursor da liberdade religiosa atual e quem mais contribuiu para um retorno do cristianismo às Escrituras.

Lembrando que uma igreja, para ser apostólica, deve estar seguindo as doutrinas dos apóstolos. E o apóstolo Paulo vai nos ensinar que se um homem, ou um anjo vier do céu e pregar um outro evangelho que os apóstolos não pregaram, seja anátema (Gálatas 1.8).

Alguns reformadores antes de Lutero, como João Wycliffe, John Huss, Savonarola e muitos outros lutaram pela reforma da igreja e pagaram com a vida. Milhões de cristãos foram mortos.

Homens e mulheres escreveram com seus próprios sangues a história da liberdade cristã. Homens que entenderam os propósitos de Deus. Pessoas que estavam com fome e sede de justiça. Louvado seja o Nome do Senhor pela vida desses homens e mulheres!!!

Quando o papa pediu para que Martinho se retratasse, ele respondeu: “Se não me refutardes pelo testemunho das Escrituras, ou por argumentos, uma vez que não creio nos papas e nos concílios, por ser evidente que muitas vezes já se enganaram e se contradisseram uns aos outros. A minha consciência tem que ficar submissa à Palavra de Deus.”

Disse Jesus: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” João 8.32

Leiam a Bíblia! Que Deus abra o entendimento, e faça resplandecer a luz do Evangelho em cada coração em nome de Jesus. Amém!

 

Por Alexandre Teles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas