Vereadores reclamam de postura centralizadora do prefeito

Vereadores reclamam de postura centralizadora do prefeito

A harmonia entre o prefeito Marcos Buzeto (PSB) e sua base aliada na Câmara Municipal parece estar chegando ao fim. Na última sessão ordinária, o vereador Joaquim Afonso (PSB) reclamou do serviço prestado pela Secretaria da Saúde. Bé Cecote (PSB), por sua vez, afirmou que o prefeito anda sumido: “Cadê a reunião que iria acontecer todo mês na primeira quarta-feira? Em um mês o pastor do prefeito morreu e adiou. Nesse, já estamos no dia 20 (segunda-feira) e nada ainda. Se alguém ver (o prefeito), dá um toque para que o presidente consiga marcar a reunião, porque está difícil”.

Joaquim afirmou que criou diversos apelidos para situações que ocorrem na política e sugeriu um codinome para o atual prefeito. “Já criei a vaca amarela, a porca amarela e o lagarto, que papa ovo. Eu costumava caçar e, para achar o tatu, tem que ser de noite. Para encontrar o Marcos é a mesma coisa, só de noite. De dia ele está dentro do buraco”, disse o vereador que foi nomeado líder do Governo na Câmara.

Bé Cecote, por sua vez, afirmou que o prefeito Marcos Buzeto está parecendo a novela da Globo “Nos Tempos do Imperador”. “Deixa as secretarias trabalharem, ir atrás do que tem e o que não tem condição de correr. Mas, fica tudo com o prefeito. Um parafusinho? É com o prefeito. Um livro? É com o prefeito. Prefeito, abre mão. Se o secretário não presta ou se não confia, manda embora. Tudo é na mão do imperador. Até quando?”, ressaltou Cecote.

Outro vereador do mesmo partido do chefe do Executivo, Zé do Paulo, também reclamou do sumiço do prefeito. “Não tem como reclamar com o prefeito, pois ninguém acha ele. Até eu brinco de vez enquanto que, se encontrar com ele, é capaz de nem conhecer de tanto tempo que não vejo ele. É capaz de passar reto”, brincou. Em tom mais sério, o parlamentar lembrou que antes eram realizadas reuniões para resolver determinados problemas e que atualmente é preciso um “incêndio” para que se reúnam no gabinete. Zé do Paulo afirmou ainda que Legislativo e Executivo não podem ficar longe um do outro. “Essa casa e o prefeito têm que chamar o secretariado para saber o andamento das pastas. Se você estiver em uma firma e o empregado deitar e rolar, acontece o que um ditado diz: onde não tiver ordem, a anarquia toma conta.”

Empresária, a vereadora Vanessa Botam (PV) enfatizou o discurso de Zé do Paulo. “Eu venho de uma empresa privada. Se não colocar um gerente ou um diretor na área que tome conta por mim, por mais que eu esteja supervisionando por trás dele, nada vai para frente. Se eu tentar pegar tudo que acontece numa empresa, não vou dar conta”, opinou Botam.

Antes do término da sessão, Bé Cecote deu mais um recado para o prefeito Marcos Buzeto: “está na hora de atender vereador igual a vereador, aqui não tem um bando de palhaço. Ou você (prefeito) atende ou você fala ‘não quero mais atender vocês’. Já está enchendo o saco”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Matérias Relacionadas